The Good Doctor – Confira a Crítica

Por Rubiatriz Almeida

Dr. Shaun Murphy. Um jovem com autismo e síndrome de savant (síndrome do sábio). Um rapaz hiper inteligente, que começa a viver e entender mais da vida a partir do começo da série. Além de por em prática a profissão, ele vai conhecendo pessoas que de certa forma o ensina a fazer coisas normais como paquerar, beber, se divertir e até sorrir…

Além da questão do autismo, a série aborda preconceitos que vão dos médicos e pacientes com o “Dr. autista” e do próprio Shaun com os médicos e principalmente em algumas
situações curiosas com pacientes. O seriado tem os dramas normais de um hospital, mas é muito divertido! O personagem principal absorve tudo que as pessoas falam e fazem e é extremamente sincero. Isso arranca muitos risos e dá diversão ao público!

Pesquisando comentários em redes sociais, vi que há pessoas acreditando que o ator Freddie Highmore realmente é autista. Não gente, ele não é. E isso é um mérito grande por ser um excelente ator, inclusive merecia um prêmio, com toda certeza! Prova disso é que o restante da turma atua bem, mas ficam um pouco apagados perto da sensacional atuação de Freddie.

No estilo básico das outras séries que abordam medicina, esta também tem residentes bonzinhos, chatos, competitivos… Só que quase tudo dá certo, quase nunca vemos mortes e assim a maioria dos pacientes se dão bem no resultado final de cada tratamento ou cirurgia. As pessoas estão sempre se convencendo ou desistindo do que fazer por causa da super sinceridade do Dr. Shaun e isso achei um pouco repetitivo.

Algumas mentirinhas, um pouco de exagero na tecnologia em algum momento, mas nada que comprometa a vontade de continuar assistindo. E com certeza você vai chorar, rir, gritar, gargalhar… Ah… A trilha sonora é fantástica! Vale muito a pena seguir. Eu estou apaixonada pelo Dr. Shaun Murphy!

Nota 8