The Ballad Of The Buster Scruggs – Crítica

Quando você perceber que algum filme tem a direção, produção ou roteiro dos irmãos Coen (Ethan e Joel) pode assistir que já é praticamente certo que você verá algo muito bom. Agora, a Netflix nos brinda com mais uma obra de arte destes grandes cineastas que já ganharam o “Oscar por Onde Os Fracos Não Têm Vez”. Antes de entrar em cartaz no mais famosos serviço de streaming do mundo, “The Ballad Of Buster Scruggs” era esperada pra chegar como uma série de TV, já que nos traz seis histórias totalmente diferentes, mas com uma temática bastante parecida.

Mas depois de algumas especulações, a produção foi lançada com um longa com aproximadamente duas horas e quinze minutos de duração. E cada uma dessas histórias independentes são separadas apenas pela introdução de um livro, no qual o filme foi baseado. E apesar das narrativas serem diversas e os atores diferentes em cada conto, como disse anteriormente, a premissa sempre tem como pano de fundo o Velho Oeste e uma boa dose de humor negro, sempre tendo a morte como tema principal, misturando comédia, drama, aventura ao longo de todos os capítulos.

Praticamente todas as histórias são extremamente interessantes e começam como se não tivessem muito sentido, mas terminam com um “gran finale” de tirar o chapéu. É claro que existem alguns episódios que não são tão intensos e acabam nos dando um pouco de cansaço, mas estão longe de serem ruins. Os roteiros adaptados são muito bem contados e interpretados pelo elenco que se mistura em atores muito famosos como Lian Neeson e James Franco e outros não tão conhecidos, mas que roubam a cena, como é o caso do excelente Tim Blake Nelson que dá um show de interpretação logo no primeiro e excelente capítulo.

O filme além de boas histórias ainda tem uma ótima direção dos Irmãos Coen que como sempre nos dão excelentes planos sequências e bons ângulos que muitas vezes nos faz sentir na própria pele dos personagens que vivem situações diversas. Pra melhorar ainda mais soma-se a isso, uma fotografia brilhante e de encher os olhos tendo como cenário as belas paisagens (ou as não tão belas também) do tão conhecido Velho Oeste. A ótima trilha sonora completa esta boa produção e nos deixa ainda mais aprofundados nas histórias que estamos assistindo.

Como disse, o filme só não é perfeito porque existem alguns contos que não nos empolgam tanto e acabam se tornando arrastados em alguns momentos. Mesmo assim é sem dúvida um longa que merece ser visto. E tomara que venham mais histórias interessantes como estas no futuro!

Nota 8