I’m Not Ok With This – Leia a Crítica

Quando vi o trailer desta série fiquei muito empolgado porque se tratava de uma produção que parecia ser uma mistura de outras que eu amei como Stranger Things, IT a Coisa e Carrie: a Estranha. E de fato é, mas não com a mesma intensidade e resultados satisfatórios quanto as que citei.

Sydney (Sophia Lillis) é uma adolescente que enfrenta turbulências típicas dessa fase da vida, como problemas de relacionamento com a família, o dia-a-dia no ensino médio e sua sexualidade em desenvolvimento. Tudo seria mais fácil se uma série de superpoderes misteriosos também não estivessem despertando dentro dela.

A premissa é extremamente interessante, apesar de para muitos já estar um pouco batida no cinema e na TV. Mas o que falta mesmo é a ação que a gente vê no trailer e que se resume tudo o que a gente vê nesse sentido em todos os oito capítulos da série.

É que ao contrário de outras produções parecidas, “I’m Not Ok With This” foca mais nos problemas enfrentados pela adolescente com a perda do pai, a descoberta da sexualidade, do bullying sofrido na escola e de outras situações que não contarei pra não dar spoilers. Os poderes sobrenaturais que a garota tem acabam ficando em segundo plano.

Com isso, para os que viram o trailer e queriam que a Syd arrebentasse tudo na série como a Onze fez logo na primeira temporada de Stranger Things, o desenvolvimento da trama pode ser decepcionante e até um pouco cansativo. Mas se vale a dica, cada capítulo tem em média vinte minutos de duração, o que ajuda bastante.

Mas isso não quer dizer que “I’m Not Ok With This” seja ruim. Tudo depende da sua expectativa. No “fritar dos ovos” eu até gostei. Acho que a conclusão serve de base para uma ótima segunda temporada e quem sabe bem mais movimentada que esta. Oremos!

Nota 7