Homem-Aranha: Longe de Casa – Leia a Crítica!

Depois do desfecho de Vingadores Ultimato todos nós aguardávamos com ansiedade o novo filme do amigão da vizinhança. É que com todas as consequências causadas pelo embate definitivo contra Thanos, o longa do Spiderman poderia nos trazer fatos complementares. Mas pra que esperou muito por isso, Longe de Casa não acrescenta muita coisa em relação ao universo Marvel.

O filme é apenas mais uma aventura do teioso e desta vez em países europeus bem no estilo “Sessão da Tarde”. Esta sequência tem muitos pontos positivos, mas deixa a desejar em outros aspectos. Tom Holland mais uma vez arrebenta interpretando o aracnídeo. O ator parece que nasceu para ser o Peter Parker. Tem todo o carisma e as características que os fãs das HQs adoram.

Os efeitos especiais são muito bons, como na maioria dos filmes da Marvel. É claro que para os mais observadores, de vez em quando é possível notar um “boneco digital” no lugar do ator de verdade, parecendo um game e não um filme. Mas as cenas de ação agradam bastante.

A pegada cômica do longa é outro atrativo. As piadas nunca são exageradas e agradam bastante, especialmente as que vem da boca do Ned Leeds que rouba a cena muitas vezes.

Duas coisas infelizmente não me agradaram muito. A primeira é o roteiro que em minha opinião deixou a desejar. A história é bem razoável. Esse lance de “férias frustradas” não colou pra mim. E o outro ponto negativo foi o vilão Mistério que até agora só não sei se foi pior que o Electro de 2014.

Jake Gyllenhaal até tenta ser carismático num primeiro momento e depois malvado noutro. E isso definitivamente não funcionou. A trama envolvendo o ilusionista também não ajuda. A vingança a Tony Stark proposta pelo personagem não convence. Sem contar que a narrativa é confusa em muitos momentos. E a segunda cena pós-créditos nem previsava ter sido feita, já que não acrescenta nada.

Nota 7