Han Solo – Leia a Crítica

Todo filme que seja da franquia Star Wars, até mesmo os derivados, são sempre aguardados com muita ansiedade pelos fãs. E como um grande admirador de Guerra nas Estrelas é óbvio que eu estava esperando com muita expectativa mais esta produção. Ainda mais por se tratar de dois dos personagens que mais gosto que são Han Solo e Chewbacca. Mas infelizmente, o novo longa que conta as origens de Han Solo não é tudo aquilo que eu esperava, o que pra mim foi um balde de água fria na minha empolgação.

O novo spin-off da saga conta as aventuras do jovem piloto Han Solo e sua namorada Qi’ra que enfrentando dificuldades financeiras buscam algum tipo de trabalho. Eles conseguem pôr as mãos em uma substância valiosa, mas perigosa, que acaba levando à perseguição do Império e à separação entre os dois. Preocupado, Han usa toda a sua esperteza para se infiltrar num plano arriscado, mas que pode render a oportunidade de voltar à terra natal e reencontrar a sua amada. Caso ele falhe, vai ter que prestar contas ao perigoso Dryden Vos. No caminho, o piloto encontra parceiros importantes, como Chewbacca e Lando Calrissian, o proprietário original da Millennium Falcon.

O pior de todo o filme é sem dúvida essa trama extremamente fraca, algo raro nas histórias de Star Wars. Mas por incrível que pareça isso aconteceu em Han Solo. O roteiro parece ter sido criado às pressas com um único objetivo: fazer dinheiro. A narrativa é muito pobre, sem objetivo, superficial e arrastada. Parece que escreveram um texto bem básico e pensaram “agora é só colocar os personagens clássicos e algumas cenas de ação que teremos uma boa bilheteria”.

Então, sem uma história atrativa, nos resta apenas torcer para que os outros elementos do filme sejam bons. Mas nem tudo funciona em Han Solo. As sequências de ação, apesar de serem divertidas, não empolgam em praticamente nenhum momento. Temos a impressão que até mesmo os atores que vivem estas cenas não ficaram totalmente entusiasmados ao grava-las. Como sabíamos que o filme não traria as famosas lutas Jedi e seus sabres de luz, esperávamos ver as corridas e perseguições em naves velozes e poderosas, mas nem mesmo a famosa Millennium Falcon supera nossas expectativas.

Em poucos momentos a trilha sonora nos empolga, com excessão daqueles em que parte das músicas originais é tocada durante as cenas de ação. A fotografia e o figurino estão até razoavelmente bons, mas nada perto do que já vimos em outros filmes da saga.

Por fim temos as atuações que também não agradam. Com excessão de Alden Ehrenreich, que até faz bem o personagem principal, temos um elenco morno, que parece que estava sem vontade de trabalhar nessa historinha fraca. Até mesmo os famosos Paul Bethany e Woody Harrelson deixam muito a desejar. Se comparado ao outro derivado de Star Wars, Rogue One, este filme merece ser visto apenas como simples diversão, mas sinceramente esquecido do universo de Guerra Nas Estrelas.

Nota 4