Godzilla 2: O Rei dos Monstros – Leia a Crítica

O Godzilla sempre foi um dos personagens japoneses mais famosos com sua primeira aparição no filme “Gojira” de 1954. Depois o monstro voltou às telas da TV na década de 70 em diversas séries e virou até desenho animado. De lá pra cá alguns filmes sobre o réptil anfíbio pré-histórico foram feitos, entre eles um que fez bastante sucesso em 2014.

Cinco anos depois, esta sequência chegou aos cinemas com um ótimo trailer e uma boa campanha de marketing. Mas era bom demais pra ser verdade. A grandiosidade que assistimos no trailer só se confirmou no longa no quesito efeitos especiais. Nesse ponto o filme enche os olhos do público nos mostrando diversos mosntros enormes em batalhas que destroem grandes cidades nos quatro cantos do planeta.

Os efeitos sonoros também agradam bastante e surpreendem ainda mais se o filme for visto em salas de cinema com boa qualidade de som.

Mas tirando essas duas características, o resto é simplesmente decepcionante. O roteiro de Godzilla 2 é muito fraco e ao mesmo tempo bastante confuso. Na minha opinião a “viagem na maionese” é do tamanho dos monstros que colocaram pra brigar no longa.

Membros da agência Monarch enfrentam monstros gigantescos, incluindo o poderoso Godzilla, que entra em choque com Mothra, Rodan e seu maior inimigo, King Ghidorah, o monstro de três cabeças. Essas antigas superespécies disputam a supremacia, deixando a própria existência da humanidade em risco.

Essa é a premissa de um filme meio sem pé nem cabeça, se bem que cabeças é o que não faltam no mostro Ghidorah. Se ele tivesse escrito o roteiro, quem sabe seria melhor do que vimos.

Além de tudo isso, o elenco formado por atores renomados também não consegue salvar o filme. As atuações são fracas e nem um pouco convincentes. O que é de se esperar quando uma direção não funciona. Diante de tantos monstros que soltam raios e fogo por bocas, asas e rabos, só faltou a Millie Bobby Brown encarnar a Onze e destruir todos aqueles seres. Por um momento pensei que isso iria acontecer.

Nota 3