Game of Thrones – Crítica!

Game of Thrones foi sem dúvida uma das melhores séries que já assisti na minha vida. Durante suas oito temporadas esta produção nos conquistou principalmente por sempre nos surpreender com as reviravoltas que aconteciam na trama. Mudanças no roteiro que nos deixavam perplexos com os novos caminhos que GOT passava a ter depois destas surpresas. Ao longo de todos estes anos, era normal que ao fim de um episódio alguém gritasse muito, chorasse, pulasse no sofá e não conseguisse dormir direito pensando no que acabara de assistir.

E apesar da produção ser extremamente bem feita em todos os quesitos técnicos, como efeitos especiais, cenografia, trilha sonora, miragem de som, fotografia, direção e outros tantos, foi justamente o roteiro que sempre nos prendeu nessa história fascinante. Tudo foi baseado nos cinco livros escritos por George R. R. Martin, que também virou produtor da série da HBO. Mas o fato é que com o fim das histórias publicadas nos livros, a série televisiva teria de caminhar com as próprias pernas. E foi aí que os roteiristas David Benniof e D. B. Weiss inventaram um rumo para as últimas temporadas.

Com isso, Game of Thrones perdeu muitas das características fascinantes que tinha. A sétima temporada já estava sendo bastante criticada pelos fãs, especialmente com o romance que surgiu entre John Snow e Daenerys Targaryam, que deixou ambos os personagens fracos. Com isso, chegamos a reta final com a oitava temporada. Assistimos então os seis longos episódios que de uma maneira geral, nos aspectos técnicos, até agradaram. Nesse caso, temos de registrar que a Batalha de Winterfell deixou a desejar. Mas foi exatamente ano roteiro que a última temporada de GOT nos decepcionou bastante.

A grande expectativa, principalmente do episódio final, deu lugar a uma enorme frustração. O desfecho de tudo que assistimos ao longo destes nove anos foi simplesmente ridículo. A trama foi encerrada de uma maneira extremamente amadora. Ao fim, ficamos com o sentimento que fomos enganados durante todo esse tempo para assistir algo muito absurdo.

SPOILERS A PARTIR DE AGORA:

Depois da ira de Daenerys e da não convincente morte de Cersei, a mãe dos dragões finalmente toma o Trono de Ferro, algo que ela buscava desde a primeira temporada. Mas por causa da loucura dela em matar pessoas inocentes com o fogo do dragão, John Snow que estava parecendo um capacho dela todo esse tempo, resolve dar fim a vida da nova rainha. E tudo isso pra quê?

É que ele foi exiliado, condenado a voltar para a Muralha, que sinceramente nem sei pra que existe mais, já que os Caminhantes Brancos foram extintos. Sem John Snow e Daenerys quem seria o novo rei? É então que de uma forma absurda, como acontece em uma reunião de condomínio, que os lordes de Westeros se juntam para escolher que vai governar. E depois de umas piadinhas sem graça, o anão que está preso e condenado à morte que toma a palavra e convence todos de que o rei tem de ser Bran Stark (O Quebrado). O quê???????

É inacreditável o final que assistimos em game of Thrones. Um garoto que foi um coadjuvante a série toda, totalmente inexpressivo e sem sal se tornar o rei de Westeros? Sinceramente foi a maior decepção que já tive assistindo a uma série. Pra quem sempre reclamou dos finais de Dexter e Lost, vendo esse desfecho de GOT com certeza vai colocar Game of Thrones na lista de primeiro lugar das séries com finais decepcionantes.

Nota 8 (para a série como um todo)

Nota 2 (para o final)