Dois Papas – Leia a Crítica

Sempre quando um filme tem como base uma história real, na maioria das vezes, podemos esperar uma boa produção. Fatos verídicos quando retratados no cinema chamam a atenção por serem algo mais próximo do público e sempre acrescentam detalhes que não sabíamos. E “Dois Papas” é mais uma dessas produções que mostra o que aconteceu nos bastidores da sucessão de Bento XVI por Francisco.

O Roteiro deste longa gira em torno desses dois personagens, especialmente de Jorge Mario Bergoglio (Francisco) que tem a história de sua vida contada através de flashbacks. E tirando essas lembranças que surgem em meio a conversas entre eles, o filme é basicamente feito de diálogos entre Bento XVI e Francisco.

E é justamente por isso que o trabalho impecável dos atores Jonathan Price e Anthony Hopkins é fundamental para conseguir a atenção do público. E é justamente isso que acontece. Os dois atores encarnam estes personagens de uma forma incrível. A caracterização é tão perfeita que em certos momentos parece que estamos vendo na tela os dois papas de verdade.

E isso foi o que rendeu as duas indicações ao Oscar nas categorias de Melhor Ator e Melhor Ator Coadjuvante. E eu confesso que ainda esperava que o longa dirigido pelo nosso cineasta brasileiro Fernando Meireles seria indicado a Melhor Filme o que infelizmente não aconteceu. E nem mesmo o nosso diretor foi lembrado.

Mas o fato é que além de todas as boas características técnicas, é sim as interpretações magníficas vdestes dois atores que sustentam essa história produzida para a Netflix. É muito bom ver as conversas entre os dois papas que terminaram em um dos fatos mais marcantes da história do catolicismo.

Nota 8